Conheça Alcione

15 June 2016

Tell us your story

Thanks for the story. Something is wrong. Try again later.
 

Empreendedorismo a serviço da esperança

"Acreditamos que todo ser humano é capaz de se desenvolver, desde que tenha recursos e condições favoráveis. O povo do Sertão Nordestino, mesmo em condições adversas, vive com determinação e esperança"

Além de ser responsável pela criação de um negócio milionário no ramo de iluminação no Brasil, Alcione ajuda a transformar vidas à frente da organização Amigos do Bem, que leva infraestrutura, educação, saúde e trabalho a 60 mil pessoas no Sertão Nordestino.

Dupla jornada empreendedora

O perfil empreendedor de Alcione se mostrou desde criança, quando fazia rifas a partir dos presentes que ganhava de aniversário. Essa brincadeira, porém, ainda não dava pistas das proporções que seu trabalho viria alcançar em poucas décadas. Empresária de sucesso, ela soube a hora certa de mudar ou expandir negócios. E criou um projeto social que beneficia milhares de pessoas com a construção de cidades completas – com casas, centro de saúde, escola, fábricas e rede de saneamento básico – em regiões quase desertas do Nordeste.

Alcione entrou para o mundo dos negócios aos 17 anos, quando seguia a carreira de modelo. Abriu uma confecção que chegou a ter 80 funcionários. Depois disso, já nos anos 90, então dona de uma loja de elétricos em Santa Efigênia, São Paulo, foi à China conhecer fornecedores de lâmpadas econômicas. Ainda não se falava em “apagão” no Brasil, mas a empresária intuiu que estava diante do futuro do mercado de iluminação.

Conseguiu trazer três contêineres de lâmpadas eletrônicas fluorescentes para o Brasil. Como o produto não era tecnicamente compatível com o sistema nacional, teve um prejuízo de R$ 100 mil. O erro, contudo, não a fez desistir. Entre idas e vindas à China – foram mais de 70 – Alcione fundou a Fortune Light Corporation – FLC, empresa que detém cerca de 30% do mercado brasileiro de lâmpadas econômicas e é pioneira na fabricação de LED no Brasil.

Ao mesmo tempo, Alcione também investia no desenvolvimento da Amigos do Bem, instituição criada a partir das ações sociais capitaneadas por ela no Sertão Nordestino. Depois da FLC encerrar 2014 com um faturamento de R$ 340 milhões, no ano seguinte a empresária vendeu parte de seu negócio para poder se dedicar ao trabalho social. “Foi uma decisão difícil, mas a Amigos do Bem precisava mais de mim”.

Compromisso de amor no Sertão

O trabalho de Alcione no Sertão do Nordeste começou no Natal de 1993, quando ela e um grupo de amigos decidiram ir até lá para distribuir alimentos, roupas e brinquedos a famílias que viviam em situação de pobreza.

Assim nasceu a Amigos do Bem, uma instituição que transforma milhares de vidas por meio de projetos educacionais e autossustentáveis. Quatro das chamadas “Cidades do Bem” foram criadas nos estados de Alagoas, Pernambuco e do Ceará. Elas substituem moradias precárias de taipa que haviam em povoados. São 35 mil m² de construções como residências, consultório médico e odontológico, mercearia e padaria, além de área de lazer, sistemas de saneamento básico e energia. O projeto inclui Centros de Transformação, que atendem 10 mil crianças e jovens com ensino regular e oficinas profissionalizantes. Além da geração de trabalho e renda por meio de plantação e fábricas de beneficiamento de caju e pimenta, assim como artesanato e produção de doces.

“Este é apenas o começo desta história de transformação. Através de amigos, o bem se multiplica e alcança dimensões inimagináveis”

Investindo no propósito de vida

À frente da Amigos do Bem, Alcione participa desde o planejamento à execução dos projetos e, a cada mês, passa 12 dias no Sertão acompanhando as ações e as famílias atendidas. Sua vocação é inspirada no trabalho da mãe, Guiomar de Oliveira Albanesi, que atende a mais de 2 mil crianças em creches das periferias de São Paulo.

O papel como empreendedora também é fundamental para conseguir arrecadar recursos para a organização, mas Alcione não está sozinha. A instituição conta com o trabalho de 5 mil voluntários, entre eles médicos, dentistas e professores, que também atuam nas campanhas de doações em supermercados e outras frentes. Em São Paulo, outra forma de difundir o projeto e levantar apoio é a loja Amigos do Bem, que vende produtos com a marca, como peças de artesanato, castanhas e doces produzidos nas cidades do Bem.

Alcione acredita que o sucesso está relacionado com a qualidade das relações e parcerias traçadas ao longo do caminho. A comunicação é muito importante para isso e a internet tem um papel fundamental em aproximar pessoas do país inteiro e difundir o projeto. A Amigos do Bem tem uma Página com mais de 430 mil fãs no Facebook, o que conecta desde as pessoas atendidas no Nordeste e voluntários, até diferentes grupos com interesses por causas sociais que querem colaborar com o projeto.

Saiba mais sobre a Amigos do Bem no Facebook.

Fotos: Dejumatos

Tell us your story

Thanks for the story. Something is wrong. Try again later.