Conheça Gabriela

01 September 2017

Tell us your story

Thanks for the story. Something is wrong. Try again later.
 

Segurança e independência para elas

"É muito gratificante saber que estamos trabalhando para a segurança de um monte de mulheres, e para a independência financeira das que são nossas motoristas."

Assediada por um motorista chamado via aplicativo, Gabriela transformou a experiência em solução que ajuda a proteger outras mulheres de viverem a mesma experiência. Criou a Lady Driver, serviço de transporte colaborativo exclusivo para mulheres, onde todas as motoristas também são mulheres. Em pouco mais de cinco meses, a Lady Driver já registrou 8 mil motoristas, teve mais de 50 mil downloads e registrou um aumento de 11x na taxa de crescimento de corridas realizadas pelo app.

Livre de assédio

Gabriela mora em São Paulo, e sempre usou serviços de transporte compartilhados para se locomover pela cidade. Em março de 2016, mês em que se celebra o Dia Internacional da Mulher, ela chamou um carro via aplicativo para ir encontrar amigos em um bar da cidade. No caminho, percebeu que o motorista estava usando rotas alternativas e se desviando do destino final. “Eu me senti na mão dele. Se eu brigasse ele podia revidar e fazer algo sério, se eu não falasse nada ele podia se encorajar a fazer algo ruim”, lembra Gabriela. Os dois discutiram no carro e, quando a corrida foi finalizada, o motorista a assediou. “Ele disse que ia me esperar na porta do bar, para tirar vantagem de mim quando eu saísse bêbada de lá. Como ele foi me buscar em casa e tinha meu endereço, não denunciei. Fiquei com medo dele fazer algo contra mim”, explica.

A experiência traumatizou Gabriela, que começou a buscar apenas motoristas mulheres nos aplicativos. “Não existiam muitas mulheres motoristas ainda, e eu tinha muito dificuldade em encontrar. Percebi que essa necessidade existia, e não era só minha, então decidi criar o serviço”, conta. Entre março e maio de 2016, Gabriela desenvolveu o projeto de um aplicativo feito por mulheres e para mulheres. Em maio contratou os dois primeiros programadores, e formalizou a empresa em sociedade com a irmã e a cunhada. Criaram a Lady Driver, um serviço de transporte exclusivo para mulheres onde todas as motoristas também são mulheres. “Fomos a primeira empresa de motoristas mulheres a ser legalizada no Brasil e no estado de São Paulo”, diz. A licença foi emitida no dia 8 de março de 2017.

Formada em Administração e Nutrição, Gabriela já tinha trabalhado na oficina mecânica do pai, foi dona da própria empreiteira, onde chegou a lidar com 74 funcionários homens, e gerenciou a cozinha responsável por alimentar mais de 8 mil funcionários das obras do Parque Olímpico no Rio de Janeiro. “Eu já tinha sentido muitas vezes esse preconceito no trabalho só por ser mulher”, conta. A experiência de empreender no mundo das startups de tecnologia oferecendo serviços de transporte, todos eles ambientes ainda predominantemente masculinos, não foi diferente. “Quando eu comecei a desenvolver a ideia da Lady, muita gente, principalmente os homens, disse que ninguém ia querer esse serviço. Também ouvi que eu não tinha chance de concorrer com os grandes”, diz.

Por mulheres e para mulheres

O instinto empreendedor da Gabriela estava certo. Em menos de seis meses de funcionamento, a Lady Driver já contratou 12 funcionários para ajudar na operação, que não para de crescer. Receberam no início do negócio um aporte de investimento de 1milhão de reais, e este mês foram selecionadas por uma empresa canadense para participarem de um programa de aceleração de startups. Desde março deste ano, a empresa já registrou 8 mil motoristas, teve mais de 50 mil downloads e registrou um aumento de 1100% na taxa de crescimento de corridas realizadas pelo app.

Na Lady Driver, apenas mulheres podem solicitar corrida via aplicativo, e o gênero de cada pessoa é reconhecido através do cadastro do CPF. Homens podem acompanhar mulheres que fizeram o pedido, mas apenas se as motoristas concordarem em fazer a viagem. “Temos tanta preocupação em proteger as passageiras como temos em proteger as motoristas”, explica Gabriela.

A Lady Driver se orgulha de ter se transformado em uma oportunidade de trabalho para as mulheres que não se sentiam seguras em dirigir para os aplicativos convencionais. Na visão de Gabriela, a empresa fornece as ferramentas para que essas motoristas empreendam e cresçam na profissão. Isso porque a Lady permite que as passageiras marquem suas motoristas preferidas, e peçam sempre corridas com elas. Assim, cada motorista pode criar sua clientela fixa. “É muito gratificante saber que estamos trabalhando para a segurança de um monte de mulheres, e para a independência financeira das que são nossas motoristas”, celebra Gabriela.

Saiba mais sobre a Lady Driver no Facebook e Instagram.

Tell us your story

Thanks for the story. Something is wrong. Try again later.