Conheça Kátia

14 June 2016

Tell us your story

Thanks for the story. Something is wrong. Try again later.
 

Cozinha além do paladar

"Estamos nos unindo em um movimento de profissionais talentosas que não se contentam em ficar apenas como assistentes"

Depois de atuar como produtora de bandas e gestora de espaços culturais por 20 anos, Kátia resolveu focar em sua versão cozinheira, criando a empresa Pitéu Cozinha Afetiva. Blogueira de gastronomia, já lançou livro, é colunista de jornal, faz marmita fina congelada, dá aulas e cria seus próprios eventos para dar banquetes e promover a culinária.

O luxo da simplicidade

Kátia Najara é famosa no cenário cultural baiano. Desde os anos 1990, ela trabalhou como produtora de bandas e festivais de rock, fez gestão e curadoria de espaços públicos e privados, sempre com jogo de cintura para lidar com a limitação de recursos e fazer as coisas acontecerem. Ao mesmo tempo, sempre encantou amigos com suas artes culinárias e capacidade de criar ambientes aconchegantes. Para reforçar seu talento, foi atrás do diploma de Decoração pela Escola de Belas Artes da UFBA e da certificação de cozinheira pelo SENAC.

Kátia entrou na década de 2010 atendendo a um chamado do coração: decidiu virar cozinheira profissional. A paixão pela alquimia dos ingredientes já vinha desde a infância, quando começou a aprender com a mãe e a avó. Desde 2003 já compartilhava suas experiências em um blog, que atraia seguidores de todo o Brasil. O gosto por escrever rendeu O Pequeno Livro de Cozinha, em parceria com Fabiana Zanelati, que ficou em quarto lugar no Gourmand World Cookbooks Awards 2010.

Em seguida, Kátia passou a oferecer serviços para banquetes e festas. Como tinha uma grande rede de contatos, criada ao longo de sua trajetória, não demorou a atender jantares, casamentos, confraternizações, entre outros encontros em que as pessoas pudessem ser ligadas pela comida e pelo afeto.

Diversos ângulos da comida

A satisfação de trabalhar em meio aos cheiros e sabores fez Kátia ser completamente absorvida pela vida entre as panelas, buscando cada vez mais conhecimento e formas de agregar outras pessoas em torno de seus “projetos de comer”, como chama. Ela continua a escrever sobre cozinha afetiva online e também tornou-se colunista de gastronomia em um tradicional jornal baiano, criou uma escolinha de culinária na própria casa e comercializa suas criações como congelados.

Além disso, Pitéu Cozinha Afetiva cumpre uma agenda de banquetes acompanhados de conversas sobre comida, em que conta sobre a origem dos pratos e propriedade dos ingredientes, trocando conhecimentos com os participantes. Todos os seus projetos se relacionam com a arte. O Pitéu Ambulante, por exemplo, são refeitórios dentro de festivais artísticos.

“Sou filiada ao Slow Food e avessa ao consumismo. Adoro circulação de roupa, mobília, objetos e utensílios de cozinha com história”.

No limite da expansão de sua “empresa de uma mulher só”, Kátia se orgulha ao afirmar que optou por ser uma empreendedora pequena e se autogerir. Prefere manter as mãos e os olhos no controle de qualidade de tudo que faz. Assim, tem também tempo para criar o filho Bento , de 10 anos, e se dedicar a ações de economia criativa ao lado de outras empreendedoras, como encontros para troca de experiências, participação em feiras e criação de eventos para movimentar o mercado local de gastronomia. A cada evento, chega a empregar 30 pessoas e conta que faz questão de remunerar bem seus parceiros e profissionais.

Com o movimento #CozinheirasLivres, por exemplo, procura fortalecer o trabalho de mulheres que, apesar da alta formação, encontram mercado apenas nos bastidores da gastronomia.

O Facebook tornou-se a principal plataforma de divulgação de suas atividades e ideias, apresentadas na Página Pitéu Cozinha Afetiva e compartilhadas em seu perfil pessoal. As publicações são bem-humoradas e demonstram um posicionamento crítico com relação ao mercado de gastronomia. Com a Página, o trabalho de Kátia se expandiu para além do seu círculo de amigos e hoje os posts são responsáveis por 70 a 80% dos convites para parcerias, trabalhos e encomendas de pratos congelados.

Saiba mais sobre a Kátia Najara no Facebook e Instagram.

Fotos: Dejumatos

Tell us your story

Thanks for the story. Something is wrong. Try again later.