Camila Farani
Rio de Janeiro

Conheça Camila

Investimento, diversidade e inovação
Camila Farani
Rio de Janeiro
Ao se tornar empreendedora, a mulher se torna protagonista de sua própria vida

Liderar negócios despertou em Camila Farani o interesse por investir em startups. Solitária em um meio dominado por homens, ao perceber o potencial de empresas idealizadas por mulheres, ela criou o grupo Mulheres Investidoras Anjo (MIA). Elas compartilham conhecimento e investem recursos para ajudar outras brasileiras a prosperar em negócios de tecnologia.

Nunca é cedo para começar

Tendo a mãe como uma figura forte e inspiradora desde criança, Camila Farani era adolescente quando entrou no mundo empreendedor. Aos 16 anos começou a trabalhar na tabacaria da família, no Rio de Janeiro, e teve oportunidade de conhecer a fundo o funcionamento de uma empresa. Tinha 20 anos quando sugeriu uma inovação para o negócio e os resultados a levaram a tornar-se sócia da mãe.

Camila formou-se em Direito e fez MBA em Marketing. Também abriu negócios na área de alimentação. Aos 23 anos comandava uma empresa e, aos 26, era dona de mais três. Ao ser convidada para assumir a direção de um projeto de alimentação saudável da Rede Mundo Verde, Camila passou a estudar sobre negócios, gestão e viabilidade econômica de projetos.

Quando saiu do comando do Mundo Verde, em 2012, Camila voltou-se para os próprios negócios e consolidou suas empresas no Grupo Boxx. A marca reúne suas empresas da área de alimentação para o público final e empresas, inclusive oferecendo consultoria. Interessada em aprender e oferecer o melhor de si, foi apresentada por um amigo ao universo dos investidores-anjo. Para entender sobre o ecossistema e poder atuar nele de forma relevante, fez cursos de especialização e empreendedorismo na Universidade de Stanford e no Babson College.

Investidora e modelo

“A principal dificuldade da mulher na hora de empreender é acreditar em si mesma”.

Camila prefere falar das conquistas, em vez das dificuldades que as mulheres enfrentam no campo profissional. Ela foi uma das primeiras mulheres a investir em startups no Brasil. Hoje, além de cofundadora do MIA, é presidente do Gávea Angels, um dos primeiros grupos brasileiros de investidores-anjo, com mais de 10 anos de atuação. “Acredito no valor da diversidade para o desenvolvimento de negócios inovadores”, afirma. “Minha missão é sensibilizar e capacitar mulheres para se tornarem investidoras-anjo. Boas investidoras estimulam boas empreendedoras”, completa.

Mais do que injetar recursos para dar vida a uma ideia, o investidor-anjo assume também o papel de mentor para o negócio. Para Camila Farani, é justamente nisso que reside a importância de ter mais mulheres investidoras – além de injetar recursos nas empresas, elas também servem de inspiração para as empreendedoras. Hoje as mulheres são menos de 1% dos investidores-anjo no Brasil.

Quanto mais alcance, melhor

O principal objetivo de Camila é fazer seu aprendizado reverberar para outras mulheres, que poderão investir em empreendimentos com gestão feminina. Por isso sempre dá palestras e workshops sobre gestão e liderança feminina para empresas e em eventos sobre negócios.

Camila faz o possível para compartilhar seu aprendizado cada vez mais. Entre viagens de negócios, apresentações e gestão de suas empresas, ela está escrevendo seu primeiro livro. Implacável, um guia para engajar mulheres, que deve ser lançado ainda em 2016 pela Altabooks, traz casos de sucesso, metodologias e ferramentas criadas por ela que podem ajudar novas e futuras empresárias. “O empreendedorismo é um meio, não um fim. Muitas mulheres podem fazer história quando assumem suas próprias rédeas”, afirma.

Artigo anterior Próximo artigo

To help personalize content, tailor and measure ads, and provide a safer experience, we use cookies. By clicking or navigating the site, you agree to allow our collection of information on and off Facebook through cookies. Learn more, including about available controls: Cookies Policy